Pinhel

Pinhel

Pinhel é uma cidade portuguesa, pertencente ao Distrito da Guarda, região Centro e subregião da Beira Interior Norte, com aproximadamente 2.578 habitantes.Também conhecida por Cidade Falcão, é sede de um município com 486,15 km² de área e 10 182 habitantes (2006), subdividido em 27 freguesias.

Pinhel

O município é limitado a norte pelo município de Vila Nova de Foz Côa, a nordeste por Figueira de Castelo Rodrigo, a leste por Almeida, a sul pela Guarda e a oeste por Celorico da Beira, Trancoso e Meda.

 

O nome "Pinhel" deriva da grande quantidade de pinheiros existentes nessa zona. A proximidade de Pinhel a Espanha fez com que esta fosse um fulcro de um dos mais avançados centros fortificados até à assinatura do Tratado de Alcanizes.

Igreja de Misericórdia

PINHEL: Igreja da Misericórdia.

A Igreja da Misericórdia de Pinhel, contígua à Igreja de São Luís, terá sido construída no século XVI, já que a data de 1537 encontra-se gravada no altar da capela lateral. Na mesma altura é fundada a Santa Casa da Misericórdia de Pinhel.
A Igreja, de arquitectura religiosa manuelina, é constituída por uma nave única com tribunas laterais simétricas e capela-mor, e um janelão setecentista na fachada.
Em 1810, nas invasões francesas a Portugal, as tropas francesas destruíram o cartório da Misericória e saquearam a Igreja.

Pelourinho de Pinhel

PINHEL: Pelourinho

Edificado no século XVI, sendo de estilo manuelino e um "pelourinho de gaiola".

Este monumento é constituído por cinco degraus octogonais (estando o primeiro semi-enterrado), uma coluna octogonal de base quadrada (devido a curvas no início da mesma), e o capitel, de base circular, seguido por um remate em gaiola através de oito colunelos de base anelar (decorados com motivos vegetalistas estilizados), terminados em cone invertido, sendo o topo do pelourinho composto por um chapéu em forma de cone.


Castelo de Pinhel

PINHEL: Vista de uma torre do castelo e casario da vila.

O Castelo de Pinhel, foi edificado no inicio da nacionalidade portuguesa, mas há dúvidas, quanto a ter sido iniciado no reinado de D. Afonso Henriques, ou no do seu sucessor, D. Sancho I.
No reinado de D. Dinis, por volta de 1280, o castelo foi ampliado com uma cerca a envolver a vila e passou também a ter seis torres. No contexto da Guerra da Restauração, depois de 1640, foi também melhorada a sua capacidade defensiva.
A actividade militar deste castelo esteve relacionada com a crise de 1383, chegando a ser tomado pelas tropas castelhanas, que acabaram por ser derrotadas nas diversas batalhas travadas nessa época, uma delas bem perto de Pinhel, em Trancoso. Também durante as invasões francesas, o castelo foi ocupado pelas tropas napoleónicas.
Classificado como Monumento Nacional, tem vindo, a partir de 1999, a ser alvo de obras de revitalização, sob orientação do IPPAR. Salientam-se neste castelo as torres erguidas na praça de armas, uma delas a Torre de Menagem, e também a existência de três cisternas.

FONTES:

Share this post

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Add your comment

Your name:
Subject:
Comment: