Sé de Viseu

Sé de Viseu

A Sé é uma das construções mais antigas de Viseu. Não se sabe ao certo quando se terá iniciado a sua construção.
As referências mais antigas datam de 1094-1114, período de governo do Conde D. Henrique, que a terá mandado construir, ou então iniciou obras de reforma da catedral. As características românicas, que hoje apresenta, datarão dessa altura.
A torre do relógio é românico-gótica, a fachada central e a torre dos sinos são maneiristas do séc. XVII-XVIII (autor-arquitecto de Salamanca, J. Moreno).
Esta fachada substituiu uma fachada manuelina que existiu até 1635.

Largo da Sé

VISEU: Largo da Sé.

No largo da Sé abarcamos num só olhar a fachada barroca da Sé de Viseu, que substituiu a manuelina que caiu em 1635, e o antigo palácio dos bispos, do século XVI, aonde agora se encontra o Museu Grão Vasco.

Claustro renascentista da Sé de Viseu

VISEU: Claustro renascentista.

A ação de D. Miguel da Silva, um dos introdutores do Renascimento em Portugal, foi decisiva na construção do claustro catedralício, obra renascentista por excelência, com grandes influências da tratadística italiana.

Portal gótico da Sé de Viseu

VISEU: Portal gótico da Sé de Viseu.

O lindo portal do período de transição românico-ogival, cuja restauração está hoje concluída, é formado por doze arquivoltas, que numa suave elegância nascem, aos grupos de duas, do ábaco simples. Quatro colunas de fustes cilíndricos lisos sustentam, de cada lado, as ogivas. Os capitéis representam aves brincando e beijando-se, num desenho ingénuo, como que estilizado. É o simbolismo do amor ! As bases são ornamentadas de fitas entrelaçadas. Rematando o portal, na parte superior, foi descoberto, também, um pequeno nicho com uma escultura de granito muito primitiva (séc. XII), representando a Virgem com o Menino no regaço, dum sentimento simples e calmo.

Fotografias: Vítor Ribeiro

Texto:  http://www.prof2000.pt/

 

Share this post

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Add your comment

Your name:
Subject:
Comment: